Vídeos

Loading...

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

FESTA-BATIDA DO CORAÇÃO-14/02-SÁBADO-22H



















Batida do coração
Homenagem a Solano Trindade-
Cia de Arte Negra Capulanas-Estará fazendo essa grande festa para arrecadar fundos para se apresentar na Bahia,pois não temos estadia ,nem alimentação!!!contamos com a presença de todos!!!
BATIDA DO CORAÇÃO-14/02-SÁBADO
Convidados- Denegri- DJ Guinho- MC GAspar (Zafrica brasil) - MC Trindade- OS Mamelucos- Preto Soul
Mulheres VIP até 0:00H,após 5$homens 5$
local -Teatro Popular Solano Trindade -Av são paulo,100-Embu das artes-Centro(próximo da prefeitura,em frente a quadra da Embuense)
Como chegar-Quem vem de carro-AV francisco morato,BR 116,entra no Embu das Artes e segue sentido centro,prefeitura,é uma rua com um rio no meio!!!ONIBUS-do metro Campo limpo sai o ultimo bus para o Embu 0:00H(Embu centro)na cardeal Arco verde passa um bus chamado (Embu engenho velho,ultimo as 23:00h)final dele é nas clinicas.Do largo da Batata sai o Itapecerica Pq Paraiso ,ele entra dentro do embu,descer no centro-praça,desce a rua até o teatro(ultimo bus 1:20)pegar ele em frente ao antigo KVA na cardeal arco verde.muita luz e asé familia!!!
http://www.myspace.com/trindademc
http://www.zinhotrindade.blogspot.com/
11 9308-8276

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

MULHER BARRIGUDA



Mulher barriguda

Que vai ter menino

Qual é o destino

Que ele vai ter,

Que será ele,

Quando crescer...

Haverá inda guerra?

Tomara que não

Mulher barriguda

Tomara que não...

SOLANO TRINDADE

CONSTRUÇÃO




CONSTRUÇÃO

Os meus olhos estão voltados
Cheios de ansiedade
Para esta construção que se inicia

Não sei se no Nilo
Ou no Amazonas
Porque não há lugar determinado,
Para se começar a viver...

Eu sei que se construirá
Não sei quando...

SOLANO TRINDADE

SINOPSE


Linguagens Cênicas utilizadas
A proposta de encenação é construída com influência na cultura popular brasileira, considerando que tanto a vida e obra do autor pesquisado, Solano Trindade, como a vivência das (os) artistas participantes, são fundamentados na mesma.
Em uma encenação não naturalista, dentro do contexto histórico trazemos o negro em foco, abordando sua trajetória.
O espetáculo utiliza-se de três linguagens cênicas principais, são elas o Teatro, a Dança e a Música. Como também de performances.
A dança que vem como legítima expressão da cultura popular Afro brasileira, traz à tona elementos de danças como o Maracatu Nação Cambinda (extinto), dança dos Orixás e outras em uma leitura contemporânea.
O trabalho musical harmoniza-se por fazer parte da cultura Afro brasileira e da Obra de Solano Trindade, que tem em seus poemas a musicalidade presente, como também em sua vida, sendo motivo este de devoção em preservar e divulgar a música popular afro brasileira.
Torna-se de igual importância para os artistas da Capulanas Cia de Arte Negra, desenvolver a dança e a musicalidade que vêm de encontro ao objetivo de se apropriar e valorizar a arte enquanto resistência cultural.
A linguagem cênica é realizada de forma não fragmentada, sendo o teatro, um rio que percorre as diversas artes, sem que haja a percepção de fronteiras, temos assim a busca por uma dramaturgia negra, baseada na cultura africana, onde a arte não tem nomes, apenas expressividade através do corpo.

Sinopse do espetáculo

“Pesquisar na fonte de origem e devolver ao povo em forma de arte” - Solano Trindade
Grande poeta negro, teatrólogo, artista plástico, militante da igualdade racial e da luta do povo negro.
O espetáculo quer através das poesias de Solano Trindade retratar a força da mulher negra de forma inovadora, cotidiana e contemporânea, ressaltando a ancestralidade afro brasileira.
O espetáculo traz consigo coreografias e ritmos de danças populares brasileiras e contemporâneas, com cenas criadas e dirigidas por jovens negros e com a sua maioria mulher. Resgatando as manifestações populares, afro brasileiras, como: maracatu, ciranda, coco, hip hop, mostrando os preconceitos sofridos às mulheres desde a infância até a fase anciã, resgatando os nossos ancestrais dentro da musicalidade, coreografias corporais e poesias do grande poeta do povo.
Trazendo uma proposta de auto-afirmação da nossa origem e as dificuldades do cotidiano do povo negro e, principalmente da mulher.
A encenação teatral torna-se o fio condutor da montagem unindo-se às outras linguagens de modo a dramatizar e levar para os palcos uma arte que já existe nas ruas, dialogando com o teatro do oprimido de Augusto Boal e utilizando a direção colaborativa. Transpondo nosso cotidiano, que se assemelha com os de outras tantas pessoas que se identificam por ser negra /o em um país de exclusão, levar aos palcos mais que o sofrimento e agressões, levar a força, a resistência e a beleza.

Ficha Técnica
Poesias: SolanoTrindade, Elizandra Souza, Débora Marçal e Flávia Rosa
Dramaturgia: Capulanas Cia de Arte Negra
Orientadora de pesquisa/ Acessoria teórica: Raquel Trindade
Direção teatral e preparação cênica: Vania terra
Direção de dança, concepção de figurino, coreografia: Débora Marçal
Assistente da direção de dança: Flávia Rosa
Direção musical e construção rítmica: Manoel Trindade
Preparação Corporal: Guma
Preparação Musical: Letícia Coura
Concepção de cenário: Capulanas Cia de Arte Negra
Concepção de luz: Capulanas Cia de Arte Negra
Operação de luz: Érico
Arte Gráfica: Ailton Oadq
Registro Fotográfico: Guma
Produção: Alânia Cerqueira
Elenco e pesquisadores: Adriana Paixão, Débora Marçal, Flávia Rosa, Manoel Trindade, Zinho Trindade, Priscila Preta.

CAPULANAS



Capulanas é uma Cia de Arte Negra composta por jovens negras e negros de diversos movimentos populares de São Paulo. Nascemos da necessidade e vontade de dialogar com a comunidade e sociedade, sobre nossas descobertas, anseios e perspectivas do que é e tem sido ser negro na sociedade atual.
A proposta da Capulanas Cia de Arte Negra é de fortificar a imagem da mulher negra, para isso nos apropriamos do pensamento da cultura popular, onde todas as artes se fundem: a música, a dança, poesia, artes plásticas, teatro e outros.
A herança da cultura da oralidade para a Diáspora africana, que no Brasil é presente na cultura popular, em evidencia do norte e nordeste do país, é de grande importância na integração do mundo natural, a presença do sagrado e a valorização da memória.
Mulheres africanas e afro descendentes mantém em comum o laço de soberania espiritual sobre seus povos estabelecendo um elo imaginário de ascendência e descendência.